5 de março de 2009

Tabuada

Queremos muito partilhar, com quem ainda não conhece, esta formula mágica de aprender a tabuada. Infelizmente algumas das nossas fotografias ficaram impróprias para divulgar e por isso temos de recorrer mais uma vez a um vídeo do youtube.
Melisa de a little garden flower mostra como se desenham as tabuadas dos vários algarismos. O efeito é muito bonito, fácil de decorar, divertido de fazer, associa os números a figuras geométricas e torna-os visualmente mais atractivos.

Se construírem todas as figuras irão reparar que elas se repetem, por exemplo 1 e 9 formam a mesma imagem, assim como 2 e 8 etc. E aí...a magia acontece! O processo é tão visual que se torna quase impossível não fazer associações.
Não consigo de maneira nenhuma virar esta imagem...mas... mostra uma associação espontânea e natural (sem o dedo de nenhum adulto com mania que sabe tudo!)
O Relógio foi o nosso trabalho final, com a tabuada do 1 a 12, na diagonal e circular.

É uma ideia de Robin Sunne e podem encontrar todas as explicações aqui.

3 comentários:

Isabel de Matos disse...

Adoro blogues da malta do ensino doméstico, são só ideias boas!!!!

Obrigada.

Beijinhos
Isabel

Pipocas disse...

Obrigada pela parte que me toca!!! Também adoro o teu blogue, tenho é muita falta de tempo para escrever...como é que consegues?

Isabel de Matos disse...

Também não tenho muito tempo, ando a dormir menos desde que tenho o blog e conheço outros blogs que me interessam, também demora tempo a lê-los e comentar... Desculpa, só agora é que vi esta tua resposta e vim aqui para te perguntar uns "pormenores" muito práticos sobre a Clonlara: podemos inscrever os pequenos a partir de qualquer altura? Podes dar-me uma ideia de quanto se paga?
O meu filho vai este ano para o 1º ano (em ensino doméstico:) ), mas continua anão quere nem ouvir falar na escola, nem que terá que ir fazer exames, etc.
Então andava aqui a pensar se não poderia tê-lo inscrito cá numa escola em regime de ensino doméstico até ao 3º ano e depois no 4º e subsequentes, para evitar os exames, o pudesse inscrever na clonlara, mas precisava de saber mais pormenores, tais como as respostas às perguntas acima e outras dúvidas que me surgissem depois (um dos problemas que vejo é o inglês, mas como dizes que há trabalhos que se apresentam na língua materna, talvez até não haja problema algum...).
Ainda bem que vocês vão começar a ter essa experiência, assim já podem partilhar connosco como é essa vivência! :)
Beijinhos, obrigada!!!!
Isabel